domingo, 20 de septiembre de 2015

“NÃO FUI PROFETIZADO” de Thiago de Mello (De Silêncio e Palavra, 1951)

NÃO FUI PROFETIZADO

Não fui profetizado. Aconteci.
Como é difícil cumprir
missão que não recebi.
Vivendo foi que aprendi
a que vim ao mundo: amar.

Quando liberto do tempo
me pediram testemunho,
as minhas mãos mostrarei:
não terei marca de cravos.
Verão, indeléveis, lanhos
da rosa que mais amei. 
Thiago de Mello  (De Silêncio e Palavra, 1951)

NO FUI PROFETIZADO

No fui profetizado. Acontecí.
Qué difícil es cumplir
misión que no recibí.
Viviendo fue que aprendí
a qué vine al mundo: a amar.

Cuando librado del tiempo
me pedirán testimonio,
mis manos enseñaré:
no tendrán marcas de clavos.
Verán, indelebles, daños
de la rosa que yo amé. 
Thiago de Mello
(Versión de Pedro Casas Serra) 

No hay comentarios:

Publicar un comentario